Pular para o conteúdo
Início » Planejamento e Monitoramento BABOK

Planejamento e Monitoramento BABOK

  • por
Planejamento-e-monitoramento

Planejamento e Monitoramento BABOK

A área de conhecimento Planejamento e monitoramento BABOK da análise de Negócios define as tarefas associadas com o planejamento e o monitoramento das atividades de análise de negócios, incluindo:

  • Identificação das partes interessadas
  • Definição dos papeis e responsabilidades das partes interessadas dentro do esforço de analise de negócios
  • Desenvolvimento de estimativas para as tarefas de análise de negócios
  • Planejamento da forma de comunicação entre o analista de negócios e as partes interessadas
  • Planejamento de como os requisitos serão abordados, rastreados e priorizados
  • Determinação das entregas que o analista de negócios irá produzir
  • Definição e determinação dos processos de análise de negócios
  • Determinação das métricas que serão utilizadas para monitorar o trabalho de análise de negócios

Além disso, está área de conhecimento descreve o trabalho envolvido em monitoramento e comunicação sobre o trabalho executado para garantir que o esforço de análise de negócios produza os resultados esperados. Se estes resultados não ocorrem, o analista de negócios deve tomar ações corretivas para atender as expectativas das partes interessadas.

Planejar a abordagem da análise de negócios

Abordagens da análise de negócios descrevem o processo geral que será seguido para execução do trabalho de análise de negócios em uma determinada iniciativa, como e quando as tarefas serão executadas, as técnicas que serão utilizadas e as entregas que devem ser produzidas.

Existem muitos meios já estabelecidos para a abordagem do trabalho de análise de negócios. No desenvolvimento de software, eles variam daqueles ditados pela abordagem cascata, até o uso de metodologias de melhorias em processos de negócios bem conhecidas, incluindo Lean e Seis Sigma, como também metodologias, customizações e práticas proprietárias ou desenvolvidas internamente nas empresas. Elementos de diferentes abordagens podem ser combinados, contudo apenas um subconjunto de todas as combinações possíveis será viável para o ambiente organizacional em particular onde uma iniciativa está sendo executada.

No intuito de planejar a abordagem da análise de negócios, o analista de negócios deve compreender as necessidades e objetivos do processo organizacional que se aplicam a iniciativa. Essas necessidades e objetivos podem incluir compatibilidade com outros processos organizacionais, restrições de tempo para o lançamento de um produto, obediência a questão regulatórios e estruturas de governança, o desejo de experimentar novas abordagens para o desenvolvimento da solução ou outros objetivos do negócio. Se os objetivos não são conhecidos, o analista de negócios pode ser chamado a definir os requisitos aos quais o processo deve atender.

Em muitos casos, as organizações terão padrões formais ou informais sobre como a análise de negócios é feita e como ela se encaixa no projeto e em outras atividades. Se este for o caso, o analista de negócios revisa quaisquer padrões organizacionais existentes, incluindo normas, diretrizes e processos relativos à iniciativa atual. Eles podem sugerir ou impor qual abordagem utilizar. Mesmo onde uma abordagem padrão existe, ela deve ser adaptada para as necessidades de uma iniciativa específica. A adaptação pode ser governada por padrões organizacionais que definem quais abordagens são permitidas, quais elementos desses processos podem ser adaptados, orientações gerais para a seleção de um processo e assim por diante.

Caso não existam padrões, o analista de negócios trabalha com as partes interessadas apropriadas para determinar como o trabalho será completado. O analista de negócios deve ser capaz de selecionar ou criar uma abordagem e trabalhar junto as principais partes interessadas, em especial o gerente do projeto e o time do projeto para garantir que ela é adequada.

A abordagem da análise de negócios é frequentemente baseada, ou relacionada a abordagem do projeto, mas em alguns casos elas devem ser determinadas de forma independente.

Conduzir a análise das partes interessadas

A análise das partes interessadas é desempenhada assim que a necessidade do negócio é identificada e será usualmente uma atividade continua enquanto a análise de negócios estiver sendo executada. A análise das partes interessadas começa com a identificação das partes interessadas que podem ser afetadas pela necessidade do negócio ou pela nova solução. As partes interessadas podem ser agrupadas em categorias que reflitam seu envolvimento e interesse na iniciativa. Os papeis, responsabilidades e autoridade sobre os requisitos para cada parte interessada ou grupo de partes interessadas devem ser claramente descritos. A análise das partes interessadas também envolve o entendimento das partes interessadas sobre a influência e atitude em relação a iniciativa e a avaliação de atitudes positivas e negativas e comportamentos que podem apetar o resultado da iniciativa e aceitação da solução.

Planejar atividades da análise de negócios

O analista de negócios determina quais atividades são requeridas para uma dada iniciativa, como aquelas atividades serão realizadas, o esforço de trabalho envolvido e uma estimativa de quanto tempo as atividades irão tomar. Esta tarefa inclui atividades para:

  • Identificar as entregas da análise de negócios
  • Determinar o escopo do trabalho das atividades de análise de negócios
  • Determinar quais atividades o analista de negócios irá executar e quando
  • Desenvolver estimativas para o trabalho de análise de negócios

As atividades são executadas e como elas são executadas determinarão a qualidade e o cumprimento dos prazos de entregas da análise de negócios e em última instancia, da solução. O plano de análise de negócios identifica e agenda as atividades e recursos necessários para produzir um conjunto de requisitos claro e conciso que apoiem o desenvolvimento da solução.

Esta atividade de planejamento irá tipicamente ocorrer mais de uma vez em uma dada iniciativa ou projeto, já que os planos frequentemente devem ser atualizados para se referir as condições de negócios alteradas, questões encontradas pelo analista de negócios ou outros membros da equipe, lições aprendidas através do desempenho das atividades de análise de negócios ou outras circunstâncias alteradas.

Uma maneira de acomodar a mudança em uma iniciativa maior é planejar em uma base incremental ou de forma cíclica. Essa abordagem de planejamento cria um plano de alto nível para o longo prazo e planos detalhados para atuar em atividades de curto prazo, com a compreensão de que os planos de logo prazo mudarão conforme mais informação torne-se disponível. Uma alternativa usada em metodologias orientadas a mudança é seguir um processo bem definido e limitado no tempo para o desenvolvimento de requisitos e limitar cada iteração para o trabalho que pode ser completo no período alocado. Um roadmap de longo prazo pode ser usado para definir expectativas, mas os conteúdos do roadmap são constantemente revisados conforme prioridades mudam.

Planejar a comunicação da Análise de Negócios

Planejar as comunicações da analise de negócios inclui determinar a melhor forma de receber, distribuir, acessar, atualizar e escalonar informações das partes interessadas do projeto e determinar a melhor forma de se comunicar com cada uma delas.

Requisitos podem ser apresentados em vários formatos. Essa tarefa descreve o trabalho requerido para decidir qual formato é apropriado para uma iniciativa em participar e suas partes interessadas. Os requisitos devem ser apresentados em formatos que sejam compreensíveis para o revisor: devem ser claros, concisos, precisos e estar no nível apropriado de detalhamento.

Considerações para o plano de comunicação das análise de negócios incluem:

  • O que precisa ser comunicado.
  • Qual é o método adequado para a entrega
  • Quem é o público apropriado
  • E quando a comunicação deve ocorrer

Necessidades das partes interessadas e restrições relevantes para a comunicação incluem:

  • Localização física e fuso horário das partes interessadas
  • Abordagem da comunicação com parte interessada
  • Que tipo de comunicação serão necessários
  • Que tipos de requisitos serão elicitados e a melhor forma de elicitá-los.
  • Qual a melhor forma de comunicar as conclusões/pacotes de requisitos, incluindo nível de autoridade.
  • Restrições na disponibilidade de tempo e recursos.

Planejar o processo de gerenciamento de requisitos

Esta tarefa determina o processo de gerenciamento apropriado para uma iniciativa em particular. Isso inclui determinar o processo para mudanças nos requisitos, quais partes interessadas precisam aprovar a mudança, quem será consultado e informado das mudanças e, por extensão, quem não precisa ser envolvido. A tarefa também inclui a avaliação das necessidades de rastreabilidade dos requisitos e a determinação de quais atributos dos requisitos serão capturados.

Gerenciar o Desempenho da análise de negócios

Esta tarefa cobre a determinação de quais métricas serão usadas para medir o trabalho executado pelo analista de negócios. Isso inclui: como rastrear, avaliar e reportar a qualidade do trabalho, e tomar ações para corrigir quaisquer problemas que possam surgir. Ela pode alimentar o desenvolvimento de futuros planos de análise de negócios. As métricas selecionadas são definidas nos ativos de processos organizacionais ou nos planos de análise de negócios.

Acesse o IIBA e faça a inscrição para a prova de certificação. Estude com os simulados Bynem

Veja Também